O BARATO SAI CARO!


Quem nunca se arrependeu de uma escolha na qual pensou estar levando vantagem, mas no final das contas acabou saindo mais caro? Embora pareça óbvio, nem sempre o mais barato é a melhor opção, e isso pode acontecer por diversas razões. Toda opção tem suas vantagens e desvantagens, por isso que o leitor deve refletir e escolher bem, sempre pensando em prazos longos, riscos de problemas maiores e no tempo que será gasto para realizar esta economia. Mais da metade dos novos negócios no Brasil acabam em até 5 anos. Há muitos motivos envolvendo esta alta mortalidade, mas uma das principais é a falta de planejamento. Num primeiro momento dinheiro e tempo são economizados ao não contratar consultorias ou fazer um bom planejamento, mas depois esta economia aumenta a probabilidade de imprevistos acontecerem. É comum se preocupar mais com o custo do que com o resultado, o que é errado. Desde a automedicação, passando pela economia com profissionais de saúde mais baratos, até a tentativa de resolver processos trabalhistas por conta própria, não envolvendo um advogado especializado. Na área financeira é comum a idéia de que não é preciso procurar ajuda profissional (pagando um planejador financeiro ou um gestor de fundos, por exemplo), e achar que é fácil ganhar dinheiro em renda variável gastando 2 horas por dia com gráficos. Mais uma vez é dada uma importância maior ao quanto o outro vai receber, do que com o quanto que eu vou ganhar. Vale a pena economizar em uma tatuagem? E em relação a automóveis? Temos o velho dilema, que vale um artigo inteiro: comprar novo ou usado? É verdade que o novo desvaloriza-se consideravelmente só de “pisar” fora da concessionária, mas não necessariamente o usado será o melhor negócio. Mas não é só isso, a lista relacionada a carros é extensa: não pagar o seguro e tê-lo roubado, não efetuar revisão na concessionária e perder a garantia e preço de revenda, não trocar o óleo e não fazer outras manutenções periódicas e ter de trocar peças mais caras, não efetuar balanceamento/alinhamento ao trocar os pneus e perder sua vida útil, não voltar de táxi depois de beber e ser pego na blitz (para não falar de outras conseqüências piores), consertar o carro em oficinas baratas e desconhecidas, demorar muito para lavar o carro e ter sua pintura manchada e a mais comum: abastecer em posto de gasolina sem bandeira para economizar 10 centavos por litro. Pense bem, ao abastecer um tanque de 40 litros em um posto 10 centavos mais barato, sua economia é de R$ 4! Será que vale a pena? Há também outros exemplos do dia-a-dia: comprar roupas de tamanho diferente em promoções ou bazares pensando em ajustá-las depois (ou que irá emagrecer), comprar algo em compra coletiva e não usar a tempo, não ter plano de saúde e adoecer ou sofrer um acidente, comprar algo mais barato em um website desconhecido ou de leilões e não ter o produto entregue, importar algum produto que seja apreendido na alfândega… Poderia continuar infinitamente com exemplos, mas acho que o recado está dado. Lembre-se sempre que: * É importante analisar outras características além do preço inicial ao fazer uma escolha, pois nem sempre a melhor alternativa é a mais barata. * A decisão de pagar ou não por algo deve ser feita com base no quanto você receberá em troca. Se você tem muito a ganhar, não é errado remunerar bem o produtor/vendedor. * Tempo é dinheiro, e com o passar do tempo ele se torna cada vez mais valioso. Afinal, quanto vale o tempo que você passa com sua família? http://www.blogdoinvestidor.com.br/financas-pessoais/quando-o-barato-sai-caro/

Featured Posts
Recent Posts
Archive
Search By Tags
Follow Us
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2015 Dr Hailson Fabio
Hailson Fábio Constâncio Trigo
CNPJ 28.873.267/0001-02
Rua Carangola, 341, BR-ES 29215440, BRA
info@biomagbr.com.br
Atendimento em Horário Comercial
WhatsApp: (22) 998978414